Translate

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Somos indecupáveis!


Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis; 
Romanos 1:17-20.
 
 
 
 
 


 
 
 
 
Muitos hoje estão se preocupando com o meio ambiente, crescimento sustentável. Estão com medo do efeito estufa, aquecimento global. Hoje o foco é uma vida saudável. O ser humano descobriu através da história que existem prioridades além de acumular bens. Mas descobrir essa prioridade, nos tempos de hoje, faz com que alguns especialista acreditem que é tarde de mais. Que humanidade já assinou sua condenação. Estão todos buscando algo que não tem mais volta. Não se conseguirá reverter o quadro de devastação que a humanidade tem estabelecida desde dos primórdios?

Isso é o que veremos. Será que não conseguiremos, passar para o nossos filhos um mundo melhor? Ou ainda temos uma chance de modificar esse quadro? A verdade é que a humanidade nunca observa os conselhos de Deus. E quando começa a buscar, pode ser tarde de mais. Muitos podem dizer que Deus não existe. E que estamos sozinhos nesta batalha. Mas na verdade, não adianta mudar o quadro de devastação de nosso querido planeta, se em primeiro lugar não mudar a consciência de cada individuo. Desde os primórdios a humanidade tem procurado uma explicação das causas de seus problemas. E sempre quando uma explicação era encontrada, atribuía-se aos deuses, indagando, onde poderíamos ter errado em agrada-los. A bíblia é clara que Deus se manifesta ao homem, mas o homem não quer aceitar a Deus assim como ele é. Mesmo dentro de sua misericórdia. Por isso, é certo o que os ateus falam que o homem inventa deuses para satisfazer seus vazios emocionais. Não por que não exista um Deus. Mas porque o ser humano não aceita o Criador como deveria ser. Mas tento seus vazios emocionais, inventam deuses. Hoje nem tanto, procuram buscar uma explicação fora do contexto divino, para satisfazer suas emoções vazias. 
 
É duro aceitar um Deus amoroso que também é um Deus de justiça. Como pode haver misericórdia onde se fabrica o mal. Essa contradição de Deus, mostra um dos atributos mais bonitos da esfera de Deus. o seu amor. Por quê? Pararmos para pensar. Deus poderia não ter ficado em silêncio. E ter apontado os nossos erros e ter acabado com a humanidade através de justiça. porque  se pensarmos em termos de justiça. Quem nunca pecou? Só o fato de não queremos ver através da criação de Deus o Criador, ou mesmo não aceitar os atributo de Deus, estamos culpados. Por quê? Por que se não cremos, é porque não podemos aceitar a Deus como ele é. Por tanto estamos sujeito ao pecado. Se Deus não existe o vazio de nossa alma como vamos preencher? Simples.! Comamos e bebamos, e acumulamos, e podemos até retirar tudo que podemos deste planeta, já que nossa vida só se resume a isso aqui! Somos dentro de uma vasta gama de partículas um acaso cósmico. Qual a razão para se viver, se não aproveitar o máximo o resto de vida que temos, parasitando esse mundo até todos os recursos acabarem. Par que viver em sociedade? Para que desgastar-me tentando entender como viver um relacionamento. Para que viver bem se amanhã, já era. Mas se existe um Deus moral. que colocam em nosso corações ideias de ética, igualdade, humildade, integridade, dignidade, amor e paz. Por que não cultivar a isso?
 
A questão é que a humanidade não quer um Deus com atributos, que não se pode controlar ou comprar através de agrados. O Deus pregado na bíblia. não é manipulável. Ele é um Deus que distribui responsabilidades. um Deus que nos ama, mas exige de nós humanos, uma vida de amor. É um Deus maravilhoso e cheio de misericórdia. Mas também justo. Então, seria muito interessante procurarmos saber qual é a vontade de nosso Deus. Quem nunca entendeu sua verdade, nunca irar perceber que o que Deus quer está ligado ao bem estar de toda a criação.  Então é claro que poderemos ter uma vida melhor para nós. Simples! Buscando a Deus, enquanto a Tempo, e descobriremos que não estamos sozinhos nesta batalha.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário